Escritora
Escritora

Depois de escrever por anos em seu blog e ter um retorno inesperado de pessoas e acessos (mais de 400 mil), Dani finalmente lançou seu primeiro livro pela editora Matrix, no final de 2013.

Um livro que fala à alma feminina. Uma mulher de trinta e poucos anos que, na busca do amor, começa a achar os sapos mais interessantes que os príncipes, se mete em roubadas e transforma tudo em poesia, crônicas e conselhos bem-humorados. 

Um desabafo divertido sobre situações que acontecem sobre os encontros e desencontros amorosos no mundo contemporâneo. Assim é “Ainda bem que eu não dei…“, livro com textos e poesias de Dani Mel, que mais parecem letras de música. Uma “saga” divertida e atual sobre busca e questionamentos femininos nos dias de hoje.

Com humor, graça e deboche, Dani cria tipos impagáveis que estão por aí, como o Dr Papinho, o Homem Satélite e Homem Mosca. As mulheres também estão muito bem representadas pela Mulher Alface, Mulher Rúcula e Mulher Quiabo. Dani fala sem medo e sem vergonha sobre situações que acontecem no dia a dia das pessoas.
Sua trilogia sobre "a arte de dar" ("Ainda bem que eu não dei", "Ainda bem que eu dei" e "Que merda que eu dei"), publicada na revista "Vip" há alguns anos, circula até hoje na internet como se fosse de Luis Fernando Veríssimo.

Com um talento especial para transformar sua busca por um cara legal (que geralmente acaba em roubada) em poesias que mais parecem letras de música, Dani faz seu desabafo particular com humor único e uma assombrosa sinceridade. Impossível não se identificar com as suas histórias. É feminino, não feminista.
Com pitadas e pitacos bem sacados e um quê de auto ajuda, Dani transforma o cotidiano sobre relacionamentos numa divertida saga amorosa.

Uma lição de vida para quem acha que isso é papo de mulherzinha. Você vai se surpreender!

 


 

 

 

Aqui, Dani interpretando algumas de suas poesias:

AINDA BEM QUE EU NÃO DEI

 

AINDA BEM QUE EU DEI

 

QUE MERDA QUE EU DEI - clipe